AJS

Capítulo 4 – O Assessor e o Coordenador na AJS

A Assessoria na AJS se fundamenta na convicção de que em todo jovem há traços do bem a serem descobertos e desenvolvidos. Por isso, acolhe a pessoa como ela é e valoriza suas potencialidades, tendo em vista tornar o jovem PROTAGONISTA, SUJEITO de sua ação e de sua vida concreta.
Abre continuamente novos horizontes de humanidade e de fé, ajudando a pessoa do jovem a assumir responsabilidades.
 
QUEM É O ASSESSOR?

O Assessor na Pastoral da Juventude é um cristão adulto chamado por Deus para exercer o ministério de acompanhar, em nome da Igreja, os processos de educação na fé dos jovens.

Esse ministério se fundamenta em JESUS CRISTO.

A assessoria, como Ministério de serviço aos jovens, só pode ser exercida por quem fez uma opção pessoal, recebeu o envio por parte da Comunidade Salesiana, com aceitação dos próprios jovens.
IDENTIDADE E CARACTERÍSTICAS DO ASSESSOR.
Identidade Psicológica
Identidade Espiritual
Identidade Teológico-Pastoral
Identidade Pedagógica
Identidade Social
Identidade Salesiana da AJS

MARCAS DO ASSESSOR DENTRO DA PERSPECTIVA SALESIANA:
o assessor procura encarnar e transmitir com sua vivência o espírito salesiano. O princípio fundmental é a vivência do Sistema Preventivo, nossa marca registrada. E ele será vivido não somente como método educativo, como pedagogia.

Será sobretudo vivido como espiritualidade, como caminho de santidade dos educadores e dos jovens. Ele tem presente que a partir do Sistema Preventivo, a centralidade da RAZÃOque é bom senso nas exigências e normas, flexibilidade e persuasão nas propostas. Da RELIGIÃOentendida como desenvolvimento do sentido de Deus e esforço de evangelização cristã. Do AMOR que se exprime como amor educativo que faz crescer e cria correspondência.

A metodologia do Assessor é a da ASSISTÊNCIA-PRESENÇA.Ser e tornar-se presença viva na vida de cada jovem e dos grupos.Uma presença amorosa e solidária que cria um ambiente positivo, entranhado de relações interpessoais. Busca viver entre os jovens, participando de sua vida, contemplando o mundo juvenil com simpatia, atento as suas exigências e valores.

Ele não é alguém a mais trabalhando entre os jovens, mas alguém que comunica uma experiência espiritual e carismática própria:o jeito salesiano de construir o Reino de Deus.

Vivencia os valores e atitudes evangélicos a partir de uma base de realismo prático, centrado no cotidiano, onde se reconhece a presença de Deus; de uma atitude de Esperança, impregnada de alegria que vê a vida como festa; de uma amizade forte e pessoal com o Senhor Ressuscitado, que faz assumir a vida com otimismo; de um sentido cada vez mais responsável e corajoso de pertença à Igreja; de um empenho concreto e operante de bem, ajudando os jovens a serem apóstolos dos jovens.

VIVE E TESTEMUNHA O ESPÍRITO SALESIANO COM:
- amor de apóstolo.
- de profeta.
- de pastor.

Faz do amor o centro de sua vida, pois Deus,o Deus da vida, é AMOR! E tem consciência de que deve viver esse amor com dinamismo jovem, a exemplo de Dom Bosco, de Madre Mazzarello,  testemunhas vivas deste amor!

Vive a mística do trabalhoapostólico: "quem não trabalha não tem espírito salesiano". E não trabalha sozinho; busca trabalhar junto, como Igreja, com flexibilidade de respostas diante dos desafios e com espírito de iniciativa.

CRIA ESPÍRITO DE FAMÍLIA.
- está pronto a dar o primeiro passo.
- vive a amabilidade.
- retidão e pureza de afeto.

"Não basta amar os jovens, é preciso que eles sintam que são amados" (D.Bosco)
 
TAREFAS DO ASSESSOR
EM RELAÇÃO A SI MESMO:
Capacitar-se sempre. O assessor deve se preocupar com sua formação integral, gradual e permanente.
EM RELAÇÃO À PESSOA DO JOVEM:
Os assessores acompanham os grupos de jovens. Aos poucos devem ir assumindo o acompanhamento pessoal de cada jovem.
Ajuda a: clarear e definir o Projeto de vida e a fazer opções. Orienta os jovens quanto aos valores, à acolhida e defesa da vida.
EM RELAÇÃO AO GRUPO
É essencial acompanhar os processos dos grupos de jovens para que possam vir a ser verdadeiros espaços de crescimento humano e de amadurecimento da fé.
Favorece clima de amizade, confiança, diálogo, fraternidade, espaços de formação integral, organização, compromisso, experiência comunitária de fé.
Orienta os jovens a viverem segundo um projeto de vida definido e concreto.
EM RELAÇÃO AOS COORDENADORES DE GRUPOS
É necessário acompanhar o trabalho dos Coordenadores de grupos, oferecendo-lhes formação, subsídios, apoio efetivo na caminhada, a fim de que possam ser um serviço para o exercício dessa liderança. Que seja de verdade um serviço de assessoria e não de substituição do papel de coordenador, do contrário perde sua razão de ser.
EM RELAÇÃO AOS OUTROS ASSESSORES
O assessor não trabalha sozinho e isolado em seu grupo. É chamado a relacionar-se com os outros assessores, especialmente a Equipe de Assessores. Esta equipe não deve ser uma instância de decisões ou coordenação de atividades para os jovens. Deve ser um espaço de partilha de vida, confronto de idéias e experiências, apoio na oração, na reflexão, na avaliação.
EM RELAÇÃO À SOCIEDADE
Como adulto o assessor se situa dentro da comunidade social como um enviado ao mundo juvenil. Procurará ajudar os jovens a entenderem a realidade social, a perceber, respeitar e valorizar as diferentes formas de ver e entender o mundo e a história, presentes na sociedade. Procurará ainda ajudar os jovens a encontrarem formas de contribuição para tornar a sociedade mais justa e mais fraterna.


O COORDENADOR DE GRUPOS
Elemento chave num grupo. Um grupo de jovens não vai para frente nem se sustenta sem um coordenador. Deve ser um dos jovens do grupo e não um adulto. Sendo assim, o jovem deve estar na linha de frente; deve ser o Protagonista, encontrar espaços para aflorar a criatividade e contribuir com seu jeito próprio. Jovem sendo evangelizadores de outros jovens.
IDENTIDADE DO COORDENADOR
- Jovem entre os jovens e escolhido por eles.
- chamado por Deus, para assumir oserviço de:
- integrar
- animar
- coordenar
- motivar
O Coordenador deveria ser:
- simples; atencioso; paciente; amigo; capaz de acolher, ouvir; de fácil contato e aproximação.
Animado e animador, entusiasmado, apaixonado por aquilo que acredita e por aquilo que faz, transmitindo otimismo, esperança.Uma pessoa de fé, que se comunica com Deus pela oração, pela meditação de sua Palavra, pela participação nos sacramentos e nas celebrações comunitárias.
Pessoa que se capacita. Organizado e planejador. Disponível e serviçal.

Principais tarefas
Preparar e animar as reuniões do grupo.
1. Detectar os anseios, as preocupações, os interesses, as inquietudes e os questionamentos dos membros do grupo e do grupo como um todo, para que, juntos, possam chegar a respostas significativas.
2. Favorecer a convivência fraterna, o respeito, a alegria, a solidariedade, a criatividade.
3. Criar no grupo um clima democrático, onde todos se sintam valorizados, estimulando assim a participação e a co-responsabilidade diante dos objetivos e atividades do grupo.
4. Animar a uma verdadeira experiência de Deus na oração, à leitura da Palavra, à celebração viva da fé, na liturgia quanto em outras criatividades do grupo.
5. Apoiar aquelas iniciativas que nascem da fé em vista da solidariedade com os pobres e com os que mais sofrem.
6. Trabalhar sempre em sintonia e em conjunto com o assessor do grupo.
7. Manter contato com os responsáveis das obras e presenças e outros grupos de jovens de sua realidade com a Pastoral da Juventude paroquial e diocesana.
8. Descobrir e potencializar as lideranças do grupo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>